Obrigado pela sua visita!

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Histórias da Maria #5!

Capitulo V

Quando regressou a casa, horas mais tarde, já não encontrou o João.
No lugar dele no sofá estava um bilhetinho “Tive saudades tuas.”. Enterneceu-a muito pouco. O João não cabia no meio dos seus pensamentos, naquela altura.

Era ela quem tinha saudades. Não de alguém, mas daquela sensação: as borboletas. Toda a vida se rira das pessoas que usavam esta expressão e agora era a única forma para descrever o que sentia.

O jantar com o Rodrigo tinha ficado marcado para o dia seguinte, mas ela começou logo a experimentar roupa para a ocasião. De energia renovada, até deu uma volta ao armário e separou roupa que já não usava a algum tempo para doar a uma instituição. Também separou a roupa que já não usava há algum tempo só porque já não tinha paciência para se produzir – e foi dali que escolheu o vestido que usaria.
Num tiro, sem que ela tivesse noção de tudo o que se passou no intermédio, era hora de ir ao encontro do Rodrigo. Já tinha envergado o vestido especial que escolhera no dia anterior e já o tinha trocado pela roupa do costume: calças justas, top fluído. Já tinha perdido minutos a fio na maquilhagem que a seguir limpou da cara. Aquele não era um encontro amoroso. Ela tinha namorado – parecia lembrar-se agora.

Ao longo do jantar descontraiu, com a ajuda de um vinho fresco. Deixou-se levar. Deixou-o até pagar, distraída da premissa da ocasião.

- Uma pena que tenhas trazido o carro. – anunciou ele.

- Porquê?

- Vamos perder o momento em que me despeço de ti à entrada da tua porta. Em que fazemos um pouco de conversa tensa e atrapalhada.  Em que tu hesitas em convidar-me a subir e eu hesito em roubar-te um beijo.

- Não me darias um beijo!

- Claro que não. Os beijos não se dão: roubam-se. Acho que não me estavas a ouvir...

Passou-lhe a mão ao longo da cintura e puxou-a para ele.  Afastou-lhe uma madeixa de cabelo que pendia sobre a cara.

- Não te permito que me roubes um beijo. – disse ela com a convicção que conseguiu.

- E porque não?

Ela calou a resposta que não tinha na ponta da língua e susbtitui-a por um beijo. Roubado, entregue, devolvido.  











Post mensal escrito pela blogger Maria do blog «Maria das Palavras» (http://daspalavras.blogs.sapo.pt/ em parceria com este blog!


5 comentários:

  1. Agora deixaste-me comovido entre um Amor de Maria e a Maria dos mil Amores...os beijos não se dão nem se roubam...TROCAM-SE!
    Pena que às vezes sejam tão insípidos e os bons demasiado voláteis!!!

    Bom fim de semana com a criação de um novo capítulo para esse romance que podia ser meu..."Maria"******

    ResponderExcluir
  2. Há algum tempo, é essa a gralha, falta um h... Certo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é :) E essa frase toda está um bocado confusa...

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...